Ao Som da Chuva

Março 31 2009
 
 
Que direi eu se tudo me parece estar ao contrario

Se tudo se vira e revira e eu tenho medo de voltar atrás

Começo a odiar-me começo a odiar tudo

O meu mundo destrói-se, eu vou morrendo

Caio no meu egoísmo, na minha razão

Quero tanto voltar a ser eu, Voltar a mim

Ando porque não quero cair,

Mas não sei que rumo tomar.

Caminho de olhos fechados

Não arrisco nada, e não sei onde irei parar

 

Que é dos meus sonhos?

Que é de mim?

Sei sê-lo para os outros,

Mas para mim, sou assim


Março 27 2009

 

 

 

 

 

publicado por DN às 05:40
Tags: ,

Março 26 2009

O meu mundo não é como o dos outros, quero demais, exijo demais; há em mim uma sede de infinito, uma angústia constante que  nem eu mesma compreendo, pois estou longe de ser uma pessimista; sou antes uma exaltada, com uma alma intensa, violenta, atormentada, uma alma que não se sente bem onde está, que tem saudade… sei lá de quê!

 

Florbela Espanca.

 

publicado por DN às 14:11

Março 25 2009

O que dizer de uma rapariga de 19 anos, saudável que parte sem mais nem menos, de um minuto para outro já estava morta...

 

o que dizer de uma rapariga que deixa como frase no hi5 "Agarre-se à vida"

 

Que melhor exemplo de uma pessoa que amava intensamento a vida, cada momento, cada instante... deixo aqui um excerto de um texto que ela mesma escreveu...

 

"Eu acredito profundamente que a vida é uma sucessão de coisas boas, em que o que determina a nossa capacidade de sermos felizes esta na nossa ousadia, a nossa coragem em sermos livres, loucos, destemidos e aventureiros.

Acredito que viajar é mais do que um hobbie mas sim uma forma de estar na vida, uma forma de fazer da vida uma existência mais rebelde, mais criativa, mais sonhadora, mais intensa e sobretudo mais apaixonante.

Amo intensamente perder-me em divagacoes, seja a viajar, seja a amar, seja a entregar-me nos campos arrebatadores do prazer, seja a rasgar ondas em cima da minha prancha ou saborear uma fruta deliciosa ou ainda, simplesmente, seja nas virtude das palavras ou nos entusiasmo dos momentos .

Por isso gosto de entusiasmar-me com as viagens que faço no meu dia a dia, sejam elas fisicas, emocionais ou intelectuais. e a minha maxima é que o impossivel seduz, e adoro tanto seduzir me pela vida como ser sobretudo seduzida pelos seus fantasticos, unicos e loucos prazeres.

O mundo esta recheado dessas docuras alucinantes, de desejos incontrolaveis, e olhar para o universo como uma piramide de necessidades nao constitui o meu horizonte.

Temos de ser audazes e ver tudo sobre uma convicta paixao e desejo por cada segundo que decidimos continuar a respirar. A vida é mesmo muito boa onda, e nos somos quem a desafia, quem a inquieta, quem lhe da charme. E no fim de tudo, sobra a nossa, e neste caso a minha, enorme paixao de me entregar a tudo o que me seduz...) A palavra mais triste é a do Adeus, aquela em que nos despedimos e comprometemos a deixar para trás um passado utópico. Virar as costas e dar um passo em frente que realmente nos faça progredir, nos faça permanecer neste mundo nem que seja obrigatoriamente, à espera de uma luz, na esperança de voltar a ter esperança. Começo a pensar que somos apenas escravos da nossa alma inconsciente que teima em fazer-nos acreditar em algo tão perfeito que não tem lugar neste mundo cheio de imperfeições. Não quero acreditar que fomos apenas uma impossibilidade incorrecta, uma realidade irreal. Permaneço neste mundo somente para tentar voltar a viver, "não vivo, estou apenas a matar o tempo". Já não sei o que é ter-te aqui, já não me lembro de como é sentir a tua presença a implorar-me para que esteja sempre presente. Obrigada por saberes proteger-me, obrigada por saberes cuidar de mim, se ao menos todos fossem como tu... Tentei, tentei de todos os modos ignorar o nosso tempo ultrapassado, falsificar a nossa existência e fingir que nunca fomos nós. A verdade é que não consigo, não consigo voltar a viver. Resido numa busca desesperada de um último abraço, de um último carinho, de que tenhas a consideração de pelo menos me dares a palavra fria, ingrata e dolorosa do adeus. Queria poder explicar ao mundo como é a escuridão, mas não é fácil de entender. "  (Sónia Reis. 1989 - 2009) 

 

Descansa em paz... serás sempre recordada pela tua imensa alegria de viver.

 

publicado por DN às 13:55

Março 24 2009

 

 

 

Ontem mostraram me esta música... nunca a tinha ouvido... fiquei apaixonada por ela... sem dúvida especial...

sem dúvida mágica....

 

publicado por DN às 18:43

Março 22 2009

  

"A morte não é o fim.

Eu só fui para o quarto ao lado.

Eu sou eu, vós sois vós.

O que nós éramos, uns pelos outros, seremos para sempre.

Dêem-me o nome que sempre me deram.

Falem-me como sempre o fizeram.

Não empreguem um tom de voz diferente, nem tenham um ar solene ou triste.

Continuem a rir daquilo que nos fazia rir juntos.

Rezem, sorriam, pensem em mim, rezem por mim.

Que o meu nome seja pronunciado como sempre foi, sem ênfase de qualquer tipo, sem sombra de escuridão.

A vida continua a significar tudo aquilo que sempre significou.

Ela é o que sempre foi. O fio não foi cortado."

 

Deixo aqui um excerto que neste momento me tocou... não conheço o autor mas penso que não seja o mais importante neste momento...

 

Descansa em paz Carlitos... 

:'(

 

publicado por DN às 21:49

Março 21 2009

 

Há quanto tempo…
 
Há quanto tempo deixei de viver?
Há quanto tempo esta dor percorre o meu corpo e abafa o meu coração?
 
Há quanto tempo sinto que morri?
Há quanto tempo deixei de acreditar no futuro?
 
Há quanto tempo adio a minha vida para depois?
Há quanto tempo deixo a minha felicidade para mais tarde?
 
Estou cansada…
Assim não aguento…
 
Não consigo ser feliz nem contigo, nem sem ti…
publicado por DN às 12:09

Março 16 2009

O sexo é como uma estação de serviço:
às vezes recebe-se um serviço completo;  
outras vezes tem que se pedir para se ser atendido  
e há vezes em que temos que nos contentar com o self-service! 

 

 Um homem é como um soalho flutuante:
Se for bem montado pode ser pisado durante mais de 30 anos. 

 

 

 As calorias são pequenos animais que moram nos roupeiros e que durante a noite apertam a roupa das pessoas. 
   

   Os problemas do nosso país são essencialmente agrícolas: 
   excesso de nabos; falta de tomates e muito grelo abandonado. 
 

  O trabalho fascina-me tanto que às vezes, fico parada a olhar para ele. 
   O Casamento é um relacionamento a dois, no qual uma das pessoas está sempre certa e a outra é o marido. 
   A mulher está sempre ao lado do homem, para o que der e vier; já o homem, está sempre ao lado da mulher que vier e der.

Se fores chata as tuas amigas, perdoam;
Se fores agressiva as tuas amigas, perdoam;
Se fores egoísta as tuas amigas, perdoam;
Agora experimenta ser magra e linda!
Tás fod*da! 


A falta de sexo
provoca amnésia e outras merdas que agora não me lembro...
 
A diferença entre Portugal e a República Checa
é que esta tem o governo em Praga e Portugal tem a praga no governo.
Não procures o príncipe encantado. Procura, antes, o lobo mau: ouve-te melhor; vê-te melhor e ainda te come. 
 

 Toda a gente se queixa de assédio sexual no local de trabalho.  
Ou isto começa a ser verdade ou então despeço-me!!! 

 

 A mulher do amigo é como a bota da tropa; também marcha!  


O cérebro é um órgão maravilhoso. Começa a trabalhar logo que acordamos e só pára quando chegamos ao serviço.
O teu computador é como uma carroça: tem sempre um burro à frente!!! 
 

As hierarquias são como as prateleiras, quanto mais altas mais inúteis.
Os trabalhadores mais incapazes são sistematicamente promovidos para o lugar onde possam causar menos danos: a chefia. 
 

 Qual a diferença entre uma dissolução e uma solução?
Uma dissolução seria meter um político num tanque de ácido para que se dissolva.
Uma solução seria metê-los a todos. 

 

 Chocolate não engorda, quem engorda é você.

AH!AH!AH!

publicado por DN às 14:10

Março 12 2009

"Um bebé de nove meses do sexo masculino foi encontrado morto no interior de um carro numa rua do centro de Aveiro, supostamente esquecido pelo pai, ao princípio da tarde desta quinta-feira. O bebé esteve várias horas abandonado no interior do carro do pai, durante a manhã. O veículo estava estacionado ao sol numa rua da Forca Vouga, um bairro residencial de Aveiro.

A criança foi encontrada pelo pai depois de alertado por um familiar para o facto de não ter sido entregue no berçário que frequentava, segundo o JN apurou.

Uma equipa de  emergência médica chamada ao local fez várias tentativas infrutíferas de reanimação.

Um responsável pela Policia Judiciária de Aveiro confirmou ao JN que estão a ser feitas investigações, recusando-se a dar mais informações.

O corpo do bebé foi transportado pelos Bombeiros Novos para a delegação de Aveiro do Instituto de Medicina Legal para ser autopsiado."

 

 

http://jn.sapo.pt/paginainicial/pais/concelho.aspx?Distrito=Aveiro&Concelho=Aveiro&Option=Interior&content_id=1168103

 

Fico chocada com as noticias que ouço no dia-a-dia... bolas como se esquecem de um filho por  várias horas?


mais sobre mim
Março 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
13
14

15
17
18
19
20

23
28

29
30


pesquisar
 
subscrever feeds
blogs SAPO