Ao Som da Chuva

Março 07 2008

 

 

Na primeira noite, eles aproxima-se e colhem uma flor do nosso jardim.

E não dizemos nada.

 

Na segunda noite, já não se escondem, pisam as flores, matam o nosso cão.

E não dizemos nada.

 

Até que um dia, o mais frágil deles, entra sozinho em nossa casa, rouba-nos a lua, e, conhecendo nosso medo, arranca-nos a voz da garganta.

 

E porque não dissemos nada, já não podemos dizer nada.

 

Eduardo Alves da Costa 1985

 

 

Primeiro levaram os negros
Mas não me importei com isso
Eu não era negro

Em seguida levaram alguns operários
Mas não me importei com isso
Eu também não era operário

Depois prenderam os miseráveis
Mas não me importei com isso
Porque eu não sou miserável

Depois agarraram uns desempregados
Mas como tenho meu emprego
Também não me importei

Agora estão me levando
Mas já é tarde.
Como eu não me importei com ninguém
Ninguém se importa comigo.

 

Bertold Brecht (1898-1956)

  

 

 

 

 

Um dia vieram e levaram o meu vizinho que era judeu.

Como não sou judeu, não me incomodei.

No dia seguinte, vieram e levaram meu outro vizinho que era comunista.

Como não sou comunita, não me incomodei.

No terceiro dia vieram e levaram meu vizinho católico.

Como não sou católico não me incomodei.

No quarto dia, vieram e levaram-me;

Já não havia ninguem para reclamar...

Martin Niemöller, 1933

 

   

 

 

 

Primeiro eles roubaram-nos nos sinais, mas não fui eu a vitima,

depois incendiaram os autocarros, mas eu não estava neles;

Depois fecharam ruas, onde não moro;

Fecharam então o portão da favela, que não habito;

Em seguida arrastaram até à morte uma criança, que não era meu filho...

Cláudio Humberto, em 09 de Fevereiro de 2007

 

 

 

 

 

Até quando ficaremos calados, à espera que chegue a nossa vez?

Até quando deixaremos de viver de costas voltadas?

Até quando teremos coragem de lutar por causas que não são nossas mas poderão vir a ser?

Até quando deixaremos de viver centrados em nós próprios?

Cada um pode fazer uma pequena parte...

Cada um de nós é apenas uma gota num oceano...

mas juntos poderemos formar, não sei, talvez um rio :p

 

publicado por DN às 13:41
Tags:

Março 05 2008


 

 

Saudades do que não existiu
saudades de tempos que não vivi,
essa saudade que não partiu
qua ate hoje continua aqui.

Sera que desse tempo participei
em alguma parte do passado?
Faz tanto tempo que nem sei
é mais certo que tenha sonhado.

Se foi sonho, por que não esqueci
e por que não consigo esquecer?
Se naquele tempo não dormí
nunca conseguia adormecer.

Como se fosse uma fotografia
que não sai do pensamento,
de alguma coisa que não existia
mas ainda vive como tormento.

Será somente na imaginação
será uma essência da maldade?
só sei que faz parte da solidão
parte,das noites de saudade.


GIL DE OLIVE

publicado por DN às 22:50
Tags:

Março 05 2008

 

 

"O Livro: instrumento de trabalho ao serviço do currículo na Educação de Infância"

 

A apresentação já passou...

Neste momento sinto me muito aliviada...

Correu tudo bem...

Penso que estivemos à altura, apesar dos nervos hesitações e "AHHHHHHHHH"...

 

gostei da experiencia, foi diferente de tudo o que já tinha feito até então :p

 

e agora já passou... =D

 

"Um país se faz com homens e livros."
( Monteiro Lobato )

 

publicado por DN às 22:29

mais sobre mim
Março 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
13
15

16
17
19
20
22

23
25
27
28
29



pesquisar
 
subscrever feeds
blogs SAPO