Ao Som da Chuva

Julho 23 2008


'Na minha próxima vida quero vivê-la de trás para a frente.

Começar morto para despachar logo esse assunto.

Depois acordar num lar de idosos e sentir-me melhor a cada dia que passa.

Ser expulso porque estou demasiado saudável, ir receber a pensão e começar a trabalhar, receber logo um relógio de ouro no primeiro dia.

Trabalhar 40 anos até ser novo o suficiente para gozar a reforma.

Divertir-me, embebedar-me e ser de uma forma geral promíscuo, e depois estar pronto para o liceu.

Em seguida a primária, fica-se criança e brinca-se.

Não temos responsabilidades e ficamos um bébé até nascermos.

Por fim, passamos 9 meses a flutuar num spa de luxo com aquecimento central, serviço de quartos à descrição e um quarto maior de dia para dia e depois Voila! Acabar como um orgasmo!'


Woody Allen

publicado por DN às 16:17
Tags:

Julho 22 2008

 

Hoje olhei para a lua e apaixonei-me de novo por ela...

Estava linda e mágica como sempre. =)

 

 

 

Para ser grande, sê inteiro: nada

Teu exagera ou exclui.

Sê todo em cada coisa. Põe quanto  és  
No mínimo que fazes.
Assim em cada lago a lua toda
Brilha, porque alta vive.

 

Ricardo Reis 

 


Julho 21 2008

 

O que resta de mim!
O que resta de mim são pequenos fragmentos,
Qual bolhas espalhadas pelos ares,
Sopradas por singelos lábios,
Que um dia ainda sonho tocar.
Encontro-me caída, despida de vestes e forças,
À espera de mãos com dedos longos,
Que serão capazes de me levantar.
Meu coração cambaleia, bate descompassado,
Tenta acompanhar meus passos,
Para não permitir que a distância os separe,
Levando cada um para um lugar.
Volto meu olhar para as bolhas que são levadas pelo vento,
Cujo caminho a percorrer é tão intenso,
Que quase é impossível um ser humano trilhar.
E ali fico concentrada, braços estendidos, mãos abertas,
Olhando o sopro do vento,
Levando as bolhas cada uma para o seu lugar.
Muitas se perderam pelo caminho,
Não tiveram força, e em seu destino não conseguirão chegar.
Mas muitas foram fortes,
Suportaram o vento, o frio, o calor e até a chuva,
Vão realizar o seu sonho quando o seu destino chegar.
Tomara que o resto de mim esteja em uma destas bolhas,
Protegidas pelo tempo,
À espera do melhor momento para a terra regressar.

Dorival Gaspar

publicado por DN às 00:02

Julho 20 2008

 

Parabéns moçoila mai bonita...

Txi Adoro muitão

 

 

 

 


Julho 19 2008

 

 

É curioso observar como a vida nos oferece
resposta aos mais variados questionamentos do quotidiano...

Vejamos:

A mais longa caminhada só é possível passo a passo...
O mais belo livro do mundo foi escrito letra por letra...
Os milénios se sucedem, segundo a segundo...
As mais violentas cascatas formam-se de pequenas fontes...
A imponência do pinheiro e a beleza da palmeira 
começaram ambas na simplicidade das sementes...
Não fosse a gota e não haveria chuvas...
O mais singelo ninho se fez de pequenos gravetos
e a mais bela construção não se teria efetuado
senão a partir do primeiro tijolo...
As imensas dunas se compõem de minúsculos grãos de areia...

Como já refere o adágio popular,
nos menores frascos se guardam as melhores fragrâncias...
É quase incrível imaginar que apenas sete notas musicais tenham dado vida à "Ave Maria", de Bach, e à "Aleluia", de Hendel...

O brilhantismo de Einstein e a ternura de Teresa de Calcutá tiveram que estagiar no período fetal e nem mesmo Jesus, expressão maior de Amor, dispensou a fragilidade do berço...

... Assim também o mundo de paz, de harmonia e de amor com que tanto sonhamos só será construído
a partir de pequenos gestos de compreensão, solidariedade, respeito, ternura, fraternidade, benevolência, indulgência e perdão, dia-a-dia...

Ninguém pode mudar o mundo, mas podemos mudar uma pequena parcela dele:

esta parcela que chamamos de "Eu".

Não é fácil nem rápido...

Mas vale a pena tentar!

publicado por DN às 12:19

Julho 17 2008

 

 

 

 

Vida em câmara lenta,
Oito ou oitenta,
Sinto que vou emergir,
Já sei de cor todas as canções de amor,
Para a conquista partir.

Diz que tenho sal,
Não me deixes mal,
Não me deixes…

No livro que eu não li,
No filme que eu não vi,
Na foto onde eu não entrei,
Noticia do jornal
O quadro minimal… Sou eu…

Vida á média rés,
Levanta os pés
Não vás em futebois, apesar…
Do intervalo, que é quando eu falo,
Para não me incomodar.

Diz que tenho sal,
Não me deixes mal,
Não me deixes…

No livro que eu não li,
No filme que eu não vi,
Na foto onde eu não entrei,
Noticia do jornal
O quadro minimal… Sou eu…

Não me deixes na
Historia que não terminou
Não me deixes…

No livro que eu não li,
No filme que eu não vi,
Na foto onde eu não entrei,
Noticia do jornal
O quadro minimal… Sou eu…

 


Julho 17 2008

 

 

 

 

Teimoso subi
Ao cimo de mim
E no alto rasgei
As voltas que dei

Sombra de mil sóis em glória
Cobrem todo o vale ao fundo
Dorme meu pequeno mundo

Como um barco vazio
P'las margens do rio
Desce o denso véu lilás
Desce em silêncio e paz
Manso e macio

Deixa que te leve
assim tão leve
Leve e que te beije meu anjo triste
Deixo-te o meu canto canção tão breve
Brando como tu amor pediste

Não fales calei
Assim fiquei
Sombra de mil sóis cansados
Crescendo como dedos finos
A embalar nossos destinos

Deixa que te leve
assim tão leve
Leve e que te beije meu anjo triste
Deixo-te o meu canto canção tão breve
Brando como tu amor pediste

(Solo)

Deixa que te leve
assim tão leve
Leve e que te beije meu anjo triste
Deixo-te o meu canto canção tão breve
Brando como tu amor pediste

publicado por DN às 12:20

Julho 15 2008
 

 

 

 

Um livro de Vitor Manuel Contreiras Barros, residente em Santa Catarina da Fonte do Bispo. Amante da escrita e da leitura. Decidiu escrever este livro em Homenagem ao seu Sobrinho Pedro que viu falecer aos 9 anos de idade.

 

Um livro dedicado a todos os meninos que já partiram e que nunca irão morrer, porque "Os Meninos Nunca Morrem" e as meninas também não.

 

Bem logo na dedicatória disseste que ia molhar algumas páginas do livro e posso dizer-te que comecei logo aí. Continuei depois quando vi que este teu livro era também dedicado à minha irmã. Sensibilizou-me muito, muito, mas mesmo muito. Depois já cansada de tanto chorar decidi fazer uma pausa e ler a contracapa, coisa que normalmente não faço. E pronto desfiz-me em lágrimas novamente.

 

Deixo então um excerto do livro:

“E a estrada cheia de sonhos espalhados na berma, pedaços de ti, pedaços de vida desunidos, uma perna caindo do lençol, um bracinho branco escorregando dos dedos sem vida…. Pedaços de terra caiada de sangue a escorrerem da boca e da bola…. E a bola, cheia de lágrimas amarelas da cor da terra castanha, deixando cair uma perna e um bracinho sem vida…. E eu, ao lado do lençol sem branco, agarrando o teu bracinho pendente sem vida, sem dedos, passo-te a mão na cabeça adormecida e sussurro-te ao ouvido: Os putos nunca caem, os meninos nunca morrem...!”

 

Obrigada pelo livro e pela surpresa...

Gostei muito =)

 

 

http://www.imagenscompalavras.blogspot.com/ (Blog do autor)

 

  

...
 
ESCREVER UM LIVRO
 

Escrever um livro é entregarmo-nos aos outros,

com o que isso tem de exaltante e devastador.

É exaltante porque nos permite dizer que existimos,

dizer quem somos, partilharmo-nos,

às vezes de tal modo que leitores perspicazes descobrem em nós

o que nem nós próprios conseguimos descobrir.

Exaltante porque satisfaz o nosso desejo de sermos admirados.

Mas também devastador porque permite todas as devassas,

todas as distorções, todas as manipulações.

Devastador porque alimenta a nossa vaidade.

 

HENRIQUE DÓRIA

 

 

 

 

 

 

 

Mais uma vez parabéns pela coragem e ousadia =)

publicado por DN às 23:25

Julho 13 2008

Hoje recebi um mail, daqueles que se recebem às centenas, com uma pequena estória, muito pequena mesmo, mas que me marcou de alguma maneira, aqui vai.

 

 

 

Havia
Uma
garota
cega
que
se
odiava
pelo
fato
de ser
cega!
Ela tbm
odiava a
todos exceto
seu namorado!
Um dia ela disse
que se pudesse ver
o mundo, ela se casaria
com seu namorado. Em um
dia de sorte, alguém doou um
par de olhos a ela! Então o seu
namorado perguntou a ela: Agora
que vc pode ver,vc se casa comigo?
A garota estava chocada qd ela viu que
seu namorado era cego! Ela disse:Eu sinto
mto,mas não posso me casar com vc pq vc é
cego! O namorado afastando-se dela em lágrimas
disse: Por favor, apenas cuide bem dos meus olhos,
eles eram muito importantes pra mim... Nunca despreze
quem ama vc..!! As vezes as pessoas fazem certos sacrifícios
e nós nem ligamos..

publicado por DN às 23:03
Tags:

Julho 08 2008

 

Mais um serão na companhia de um bom filme.

O som do coração conta-nos a estória de uma menino com um dom musical fora do comum. Um  menino prodígio que nunca conheceu os pais, mas sente que a música o ajudará a encontrá-los.

Foge do orfanato, passa a trabalhar para um homem que explora meninos de rua...

 

e para saberem o resto só mesmo se assistirem ao filme =)

 

 

 

 

 

publicado por DN às 00:28

mais sobre mim
Julho 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

14
16
18

26

31


pesquisar
 
subscrever feeds
blogs SAPO