Ao Som da Chuva

Março 25 2009

O que dizer de uma rapariga de 19 anos, saudável que parte sem mais nem menos, de um minuto para outro já estava morta...

 

o que dizer de uma rapariga que deixa como frase no hi5 "Agarre-se à vida"

 

Que melhor exemplo de uma pessoa que amava intensamento a vida, cada momento, cada instante... deixo aqui um excerto de um texto que ela mesma escreveu...

 

"Eu acredito profundamente que a vida é uma sucessão de coisas boas, em que o que determina a nossa capacidade de sermos felizes esta na nossa ousadia, a nossa coragem em sermos livres, loucos, destemidos e aventureiros.

Acredito que viajar é mais do que um hobbie mas sim uma forma de estar na vida, uma forma de fazer da vida uma existência mais rebelde, mais criativa, mais sonhadora, mais intensa e sobretudo mais apaixonante.

Amo intensamente perder-me em divagacoes, seja a viajar, seja a amar, seja a entregar-me nos campos arrebatadores do prazer, seja a rasgar ondas em cima da minha prancha ou saborear uma fruta deliciosa ou ainda, simplesmente, seja nas virtude das palavras ou nos entusiasmo dos momentos .

Por isso gosto de entusiasmar-me com as viagens que faço no meu dia a dia, sejam elas fisicas, emocionais ou intelectuais. e a minha maxima é que o impossivel seduz, e adoro tanto seduzir me pela vida como ser sobretudo seduzida pelos seus fantasticos, unicos e loucos prazeres.

O mundo esta recheado dessas docuras alucinantes, de desejos incontrolaveis, e olhar para o universo como uma piramide de necessidades nao constitui o meu horizonte.

Temos de ser audazes e ver tudo sobre uma convicta paixao e desejo por cada segundo que decidimos continuar a respirar. A vida é mesmo muito boa onda, e nos somos quem a desafia, quem a inquieta, quem lhe da charme. E no fim de tudo, sobra a nossa, e neste caso a minha, enorme paixao de me entregar a tudo o que me seduz...) A palavra mais triste é a do Adeus, aquela em que nos despedimos e comprometemos a deixar para trás um passado utópico. Virar as costas e dar um passo em frente que realmente nos faça progredir, nos faça permanecer neste mundo nem que seja obrigatoriamente, à espera de uma luz, na esperança de voltar a ter esperança. Começo a pensar que somos apenas escravos da nossa alma inconsciente que teima em fazer-nos acreditar em algo tão perfeito que não tem lugar neste mundo cheio de imperfeições. Não quero acreditar que fomos apenas uma impossibilidade incorrecta, uma realidade irreal. Permaneço neste mundo somente para tentar voltar a viver, "não vivo, estou apenas a matar o tempo". Já não sei o que é ter-te aqui, já não me lembro de como é sentir a tua presença a implorar-me para que esteja sempre presente. Obrigada por saberes proteger-me, obrigada por saberes cuidar de mim, se ao menos todos fossem como tu... Tentei, tentei de todos os modos ignorar o nosso tempo ultrapassado, falsificar a nossa existência e fingir que nunca fomos nós. A verdade é que não consigo, não consigo voltar a viver. Resido numa busca desesperada de um último abraço, de um último carinho, de que tenhas a consideração de pelo menos me dares a palavra fria, ingrata e dolorosa do adeus. Queria poder explicar ao mundo como é a escuridão, mas não é fácil de entender. "  (Sónia Reis. 1989 - 2009) 

 

Descansa em paz... serás sempre recordada pela tua imensa alegria de viver.

 


mais sobre mim
Março 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
13
14

15
17
18
19
20

23
28

29
30


pesquisar
 
blogs SAPO