Ao Som da Chuva

Novembro 11 2009

 

 

 

 

 

Cá dentro não imagino o frio que possa fazer lá fora agora. Olho pela janela e não vejo ninguém caminhando pela rua que passa mesmo em frente, em partes quase impossível de caminhar, cheia de lama e buracos, noutras caminhando sem problemas.
Uma vez mais a chuva bate em minha janela, encosto meu rosto mas não a consigo sentir.
Recordo o caminho que já percorri ate estar aqui hoje e algumas das coisas encontradas, vejo da minha janela algum do caminho que ainda tenho pela frente, tento mas não consigo ver o fim do percurso.
A intensidade da chuva aumenta, ninguém pode decidir o momento em que surge ou quando ira parar.
Olho para o caminho em frente a minha janela e sem esperar vejo surgir ao longe alguém a percorrer o mesmo caminho já percorrido por mim, enfrenta os obstáculos do percurso, cai e volta a levantar-se, não desiste. Tento alerta-lo para o obstaculo que se encontra mesmo a sua frente mas não me ouve e volta a cair.
Cá dentro estou protegida dos obstáculos que possam surgir lá fora, mas nunca saberei o que ainda me poderia ter vindo a acontecer.
Decido continuar meu caminho, abandono a janela em que bate a chuva e dirijo-me para a porta. Ao chegar lá fora encontro alguém todo ferido, como eu em tempos também estava, alguém a quem o verdadeiro rosto era tapado pela lama e que a chuva ao longo do caminho aos poucos lava.
Seguimos juntos o caminho que um dia ambos conhecemos e iniciamos em alturas diferentes e que nenhum sabe qual será o fim.
Caminha-mos faça sol ou chuva, faça calor ou frio, juntos percorremos um caminho que irá
ter ao amanha.

 

Miss Devil


Setembro 11 2009

 

Tantas são as pessoas que vivem, paredes meias, com a solidão…

No fundo, somos todos iguais. Gente desenhada pelos contornos da vida, rasurada, riscada pela adversidade...

A solidão quando se apodera de um coração gera raízes e torna-se num vício.

Solidão busca solidão e, quanto mais nos isolamos, à medida que o tempo passa, mais isolados queremos estar. Quando, finalmente, as pessoas descobrem que a solidão é a sua companhia, o rosto emudece, a alma desanima e uma profunda mágoa parece dominar o pensamento.E, quando a noite se avizinha, os seus corações se toldam, por terem de defrontar mais um instante de solidão.

A minha está aqui, é com ela que vivo. E nos momentos que me visita, deito-me no leito dessa quietude e deixo-me levar pelo carpido do silêncio. Nada mais se faz senão aceitar e partilhar aquele momento. Vencida por ela, passo os braços pelo silêncio e aperto-o de encontro ao meu peito. Sinto o respirar lento e compassado. É um som incomparável, mas ao mesmo tempo audaz e perverso, porque destroça a força da alma. E o silêncio deixa de ser silêncio para ser um baque surdo, cadenciado, ritmado. No entanto, num abraço vão e ingénuo, simplesmente num abraço de silêncio compartilhado, a escurecer em lentos tons do anoitecer, já o tecto se aparta de mim e me abandona, entregue que fico à noite calada. A mansidão se encolhe contra mim e me toma. Então passa a ser dor e algo que corrompe. É como um estar sem vida, sem idade, sem tempo. Apenas nos habita numa eterna cumplicidade. E a escuridão cai sobre tudo e nos envolve como teia. A solidão faz parte do ser humano e creio que o seu valor se traduz na capacidade de nos fazer reencontrar, de nos fazer reconhecer a importância de um amigo, de nos fazer enxergar certas coisas, até então, invisíveis aos nossos olhos. É este o preço de uma vida solitária.


Julho 19 2009

 

"Agora que o silêncio é um mar sem ondas,
E que nele posso navegar sem rumo,
Não respondas
Às urgentes perguntas
Que te fiz.
Deixa-me ser feliz
Assim,
Já tão longe de ti como de mim.
Perde-se a vida a desejá-la tanto.
Só soubemos sofrer, enquanto
O nosso amor
Durou.
Mas o tempo passou,
Há calmaria...
Não perturbes a paz que me foi dada.
Ouvir de novo a tua voz seria
Matar a sede com água salgada."

 

Miguel Torga


Julho 14 2009

Existe somente uma idade para a gente ser feliz,
somente uma época na vida de cada pessoa
em que é possível sonhar e fazer planos
e ter energia bastante para realizá-las
a despeito de todas as dificuldades e obstáculos.

Uma só idade para a gente se encantar com a vida e viver apaixonadamente
e desfrutar tudo com toda intensidade
sem medo, nem culpa de sentir prazer.

Fase dourada em que a gente pode criar
e recriar a vida,
a nossa própria imagem e semelhança
e vestir-se com todas as cores
e experimentar todos os sabores
e entregar-se a todos os amores
sem preconceito nem pudor.

Tempo de entusiasmo e coragem
em que todo o desafio é mais um convite à luta
que a gente enfrenta com toda disposição
de tentar algo NOVO, de NOVO e de NOVO,
e quantas vezes for preciso.

Essa idade tão fugaz na vida da gente
chama-se PRESENTE
e tem a duração do instante que passa.

 

 

 

 

publicado por DN às 14:21

Junho 17 2009

 

 

 

A única atitude intelectual digna de uma criatura superior é a de uma calma e fria compaixão por tudo quanto não é ele próprio.

Não que essa atitude tenha o mínimo cunho de justa e verdadeira; mas é tão invejável que é preciso tê-la.

 

Fernando Pessoa


Junho 13 2009

 

Bom mesmo é ir à luta com determinação,
abraçar a vida com paixão,
perder com classe
e vencer com ousadia,
porque o mundo pertence a quem se atreve
e a vida é “muito” pra ser insignificante"

 

Charles Chaplin

publicado por DN às 11:07

Maio 26 2009

 

Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas ...
Que já têm a forma do nosso corpo ...
E esquecer os nossos caminhos que nos levam sempre aos mesmos lugares ...

É o tempo da travessia ...
E se não ousarmos fazê-la ...
Teremos ficado ... para sempre ...
À margem de nós mesmos...


Fernando Pessoa

 


Maio 25 2009

Um dia a maioria de nós irá separar-se. Sentiremos saudades de todas as conversas jogadas fora, as descobertas que fizemos, dos sonhos que tivemos, dos tantos risos e momentos que compartilhamos...

Saudades até dos momentos de lágrimas, da angústia, das vésperas de fins de semana, de fins de ano, enfim... do companheirismo vivido... Sempre pensei que as amizades continuassem para sempre...

Hoje não tenho mais tanta certeza disso. Em breve cada um vai pra seu lado, seja pelo destino, ou por algum desentendimento, segue a sua vida, talvez continuemos a nos encontrar, quem sabe... nos e-mails trocados...

Podemos nos telefonar... conversar algumas bobagens. Aí os dias vão passar a... meses... anos... até este contato tornar-se cada vez mais raro. Vamos nos perder no tempo...

Um dia os nossos filhos verão aquelas fotografias e perguntarão: Quem são aquelas pessoas? Diremos que eram nossos amigos. E... isso vai doer tanto!!!

Foram meus amigos, foi com eles que vivi os melhores anos de minha vida!

A saudade vai apertar bem dentro do peito. Vai dar uma vontade de ligar, ouvir aquelas vozes novamente... Quando o nosso grupo estiver incompleto... nos reuniremos para um último adeus de um amigo. E entre lágrimas nos abraçaremos...

Faremos promessas de nos encontrar mais vezes daquele dia em diante. Por fim, cada um vai para o seu lado para continuar a viver a sua vidinha isolada do passado... E nos perderemos no tempo...

Por isso, fica aqui um pedido deste humilde amigo: não deixes que a vida passe em branco, e que pequenas adversidades sejam a causa de grandes tempestades...

Eu poderia suportar, embora não sem dor, que tivessem morrido todos os meus amores... mas enlouqueceria se morressem todos os meus amigos!!!

 

Vinicius de Morais


Maio 05 2009

 


Sorrisos...Quando a tristeza invadir o teu coração.
Arco-Íris...Para tu seguires as nuvens.
Risos...Que beijem os teus lábios.
Abraços...Quando a alegria não estiver contigo.
Amigos...Que iluminem o teu ser e o teu dia.
Beleza...Que os teus olhos possam ver.
Confiança...Quando a dúvida aparecer.
Fé...Para que acredites na tua força.
Coragem...Para te conheceres a ti mesmo.
Paciência...Para aceitares a realidade.
Amor...Para ofereceres a todos à tua volta !!


Abril 23 2009

 

 

 

 Solidão não é a falta de gente para conversar, namorar, passear ou fazer sexo... Isto é carência!

Solidão não é o sentimento que experimentamos pela ausência de entes queridos que não podem mais voltar... Isto é saudade!

Solidão não é o retiro voluntário que a gente se impõe, às vezes, para realinhar os pensamentos... Isto é equilíbrio!

Solidão não é o claustro involuntário que o destino nos impõe compulsoriamente... Isto é um princípio da natureza!

Solidão não é o vazio de gente ao nosso lado... Isto é circunstância!

Solidão é muito mais do que isto...

Solidão é quando nos perdemos de nós mesmos e procuramos em vão pela nossa alma.

 

Fátima Irene Pinto


mais sobre mim
Novembro 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30


pesquisar
 
blogs SAPO